Gestão da Saúde Ocupacional: conheça as práticas mais eficientes

Dentro de uma organização é necessário realizar todos os cuidados para promover a saúde ocupacional. Através da gestão da saúde ocupacional, é possível proporcionar melhor ambiente de produtividade e motivação através de cuidados simples e outros mais importantes, para a gestão dos colaboradores.

Seja a gestão da saúde ocupacional ou a gestão da segurança do trabalho, por mais que existem diferenças entre as mesmas, é necessário conhecer e entender a importância das mesmas sabendo inclusive, como deve ser aplicada em cada empresa.

O que é a gestão da saúde ocupacional

Segurança do trabalho é conhecido como o conjunto de ações que são adotadas em um determinado ambiente, sendo ambiente de trabalho pode ser industrial ou office, em que serão determinadas medidas preventivas para evitar acidentes, doenças, incômodos e outros para que seja possível proporcionar maior segurança nesses ambientes e ainda, a produtividade adequada para o ambiente de trabalho.

Nesse contexto poderão existir ações e normas, que irão reger áreas como administrativas, médicas e técnicas, todas trabalhando em conjunto para o bem do colaborador.

Confira práticas eficientes para a gestão da saúde ocupacional

Existem diferentes atividades que poderão ser colocadas em prática para proporcionar excelente ambiente, para os colaboradores de uma empresa, independentemente de qual seja o seu cargo de atuação.

Para saber quais são os passos para melhorar ou ainda implementar a gestão da saúde ocupacional de forma adequada, confira abaixo quais são as principais práticas.

Normas regulamentadoras

Esse é um dos principais e mais importantes passos para conseguir realizar um excelente gerenciamento de saúde ocupacional.

Seguindo as principais normas e procedimentos que podem estar relacionados diretamente, com cada área em que a empresa atua é possível selecionar as melhores práticas para proporcionar segurança e medicina do trabalho.

Em muitos casos pode ser necessário consultar essas normas regulamentadoras, para entender o que é preciso que esteja presente em cada empresa ou mesmo, em cada setor de acordo com área de atuação. Um exemplo simples é o uso de osteopatia, por exemplo, é possível que exista uma norma apenas para esse assunto e assim, a empresa poderá realizar os preparos e atividades de proteção e segurança, voltadas para esse assunto.

Conheça o histórico de funcionários da empresa

Em casos em que não existe uma norma regulamentadora específica para a empresa ou setor, é possível que os colaboradores e especialmente, aqueles que tem conhecimento para realizar tal atividade consigam elaborar as suas normas.

Uma atividade como essa pode parecer complexa em um primeiro momento, mas saiba que com os conhecimentos adequados e principalmente, conhecendo o histórico de funcionários e ex-funcionários da empresa, é possível realizar um levantamento das informações de acidentes e possíveis acidentes que já aconteceram na empresa e a partir disso, montar um mapa de prevenção, que possa proporcionar a gestão da saúde ocupacional.

Esse levantamento de informações é possível ser realizado e até mesmo importante, para conseguir definir as metas, ou seja, em quanto tempo cada atividade deverá ser realizada e até mesmo, quais são os principais equipamentos e produtos que deverão estar na empresa, para que este cenário possa ser favorável.

É importante lembrar que todos os setores da empresa devem estar envolvidos e dessa forma, realizar a gestão conseguindo contemplar de forma adequada todos os setores.

A gestão da saúde ocupacional consegue trazer diferencial competitivo

Pode parecer que a saúde ocupacional possui diferenças ou benefícios apenas para a parte interna da empresa e especialmente, para os seus colaboradores.

Mas saiba que isso não é verdade. O que acontece nesses casos em que a empresa consegue realizar uma excelente gestão da saúde, é ela conseguir conquistar diferencial competitivo frente aos seus concorrentes diretos ou indiretos.

Isso acontece pelo fato de que, inclusive com a utilização das mídias sociais, as empresas precisam falar mais sobre si mesmas e sobre os seus produtos ou serviços, e para o público em geral, as empresas que conseguem cuidar melhor dos seus funcionários, conquistam a confiança e empatia de seu público, diferente do concorrente que faz algo para promover a saúde e não mostra ou ainda, de gestores que não se importam com a saúde de seus funcionários.

Gestão da saúde é gestão de emoções

Cada vez mais os estudos e pesquisas indicam que o ser humano é composto por um todo e que em muitos casos, não é possível separar os problemas da vida pessoal, com os desafios da vida profissional fazendo com que o colaborador, possa ter uma certa dificuldade em realizar as suas atividades.

Pensando nesse comportamento e até mesmo tendência, de entender e saber lidar com pessoas que são completas e que não separam os sentimentos,  o plano de gestão de saúde ocupacional precisa se preocupar na eficiência e qualidade das atividades realizadas e entregues, na mesma medida em que se preocupa com a qualidade de vida, saúde, bem-estar e segurança dos profissionais.

Uma empresa que realiza essa correta gestão pode conquistar múltiplos benefícios para a saúde da organização, como também para seus gestores e colaboradores.